Connect with us

Geral

Niterói amplia investimento em projeto que reduz casos de dengue

Região de Pendotiba será contemplada em nova fase

Publicado

em

Método Wolbachia, aplicado em Niterói. Foto: DIvulgação

A Prefeitura de Niterói e a Fiocruz assinaram um protocolo de intenções com o objetivo de expandir o chamado Método Wolbachia para reduzir os casos de dengue, zika e chikungunya na região de Pendotiba. Com a parceria, o financiamento ficará a cargo da administração municipal. Também foi assinado um documento entre os órgãos e o World Mosquito Program, instituição que desenvolveu o programa, para que o método seja aplicado em toda a cidade.

O método Wolbachia, considerado natural e seguro, consiste na liberação de mosquitos aliados, ou seja, Aedes aegypti com a bactéria Wolbachia. O objetivo é oferecer uma alternativa sustentável e acessível às autoridades de saúde de áreas com alto índice das doenças, sem qualquer custo para a população. Dados apontam que, nas áreas em que o programa, que tem sede na Austrália, já foi aplicado na cidade, os casos de dengue reduziram em 70%, enquanto os casos de chikungunya e zika tiveram queda de 60% e 40%, respectivamente.

O projeto começou a ser instituído no município em 2014, em Jurujuba. Desde então, 33 bairros foram contemplados e mais de 370 mil niteroienses foram beneficiados. Com isso, 75% da área da cidade já foi coberta pela iniciativa.

O prefeito Axel Grael afirmou que a ideia é que Niterói seja o primeiro município do Brasil a ter 100% do território protegido nesse sentido.

“Niterói sempre foi um exemplo no combate à dengue no país e, por isso, hoje assinamos essa carta de intenções junto ao WMP Brasil e a Fiocruz para que a gente possa captar os recursos e terminar todo o município. Hoje constatamos o principal resultado do projeto, que são as baixíssimas ocorrências das doenças relacionadas ao Aedes aegypti. Temos muito orgulho que Niterói tenha sido escolhida, lá atrás, para implementação do projeto”, finalizou.

A nova fase do programa terá investimento de R$ 2,8 milhões.

Método Wolbachia, aplicado em NIterói. Foto: Divulgação

Publicidade

Populares